Windows (10) vs Linux (OpenSuse); Breves relatos e considerações.

Share

Pois é, a história se repetirá novamente; falarei de Windows vs Linux. Há na internet inúmeras matérias sobre o assunto, discutir sobre quem é melhor é um tema que realmente ocupa boa parte do tempo dos fanáticos por sistemas operacionais. Porém não venho dar-vos verdades e afirmações sobre os sistemas, darei apenas breves considerações pessoais sobre ambos.

Sou um usuário do Linux, desde que comprei minha primeira maquina o utilizo. Acho-o pratico, ágil e seguro. Mas, como muitos, sempre mantive uma partição com o Windows instalado. Não por motivos pessoais, mas por condições profissionais. No entanto o utilizava muito pouco, só, realmente, quando necessitava. Minha distro Linux sempre foi OpenSuse, a qual eu amo profundamente. Passei mais de quatro anos utilizando-a, tive pouquíssimos inconvenientes (problemas de boot aqui, inconsistência de dependências ali), nada que não fosse resolvido com o Google e um Cd Live.

Esse ano, porém, meu sistema apresentou problemas – os quais, aliais, foram causados pela instalação paralela do Windows – e tive de formatar, excluindo ambos do meu computador. Nos últimos anos o tempo tem sido fundamental para mim, não posso desperdiçá-lo. Sabendo disso, optei, mesmo consciente de todas as suas inconstâncias, por instalar somente o Windows. Pois apesar de amar incondicionalmente o OpenSuse, o processo de configuração e atualização dele me toma um tempo extraordinariamente grande, o que não acontece com o Windows, que fica pronto para uso em poucos clicks. Assim fiz, e aqui começa os problemas.

Assim que acabei de instalá-lo e configurá-lo, ocorreu uma apagão na rede elétrica da minha região. Como é conhecimento de todos, o Windows nunca se deu bem com a “queda de energia”, e por isso acabei, cerca de duas horas depois de instalá-lo, tendo que o reinstalar. Aqui destaco o primeiro ponto; o sistema da Microsoft equipa-se a uma moça, em questões de fragilidade. Uma única queda de energia e capaz de derrubá-lo sem tantas formalidades. Coisa que não acontece no Linux (OpenSuse). Como o Linux é usado, majoritariamente, para servidores, possui uma estabilidade incrível. Nele é mais provável que quedas sucessivas de energia venha a queimar os componentes de hardware que a danificar o sistema.

Ao reinstalar o Windows a surpresa; meus arquivos pessoais foram corrompidos pelo apagão que causou o desligamento abrupto do sistema. Meus arquivos são as coisas mais valiosas que possuo; anos e anos de trabalhos acadêmicos e livros que me custariam uma fortuna readquirir. Depois de horas – muitas horas – perdidas na busca da solução, finalmente a encontro; TestDisk, Linux. No entanto, para minha infelicidade, outro problema me ocorreu e causou o mesmo problema. Mas, desta vez, resolvi-lo mais rápido. Aqui destaco outro ponto; A menor atipicidade no funcionamento do sistema e capaz de corromper o sistema de arquivos das partições. Coisa que nunca me aconteceu no Linux.

Passados os pesares, conseguir finalmente usar o sistema sem maiores problemas. Porém a normalidade não durou muito. Uma semana e meia após a segunda instalação do sistema, ele novamente volta a apresentar problemas. A inclusão de um HD no computador fez com que o MS Windows não fosse capaz de dá boot, me apresentado a tela azul com o erro 0xc00000e9. Apesar de horas e horas perdidas atrás de solução, o problema foi insolúvel. Obrigando-me novamente a reinstalar o sistema. Aqui destaco o último ponto; as ferramentas de recuperação e restauração oferecidas pela Microsoft na maioria das vezes são ineficazes; incapaz até mesmo de restaurar, por exemplo, o próprio sistema de arquivos, nos fazendo recorrer, na maioria das vezes, a reinstalação do sistema. No Linux, por maior que seja o problema, a inicialização por um Live Cd e alguns minutos de pesquisa são capazes de solucionar a intempestividade.

Apesar da evolução gráfica, o MS Windows ainda continua anos luz atrasado do Linux em temos de estabilidade e segurança. Não há, realmente, equiparação de um com o outro nesse aspecto. Porém, já quando a usabilidade e agilidade, para quem não há tempo há dispensar, o Windows ainda continua sendo a melhor opção. Sendo quase um Plug-and-player; Plugou, funcionou. Enfim, o tempo dado a resolver conflitos de funcionamento do Windows teria sido mais que suficiente para configurar o Linux, então não resolvi ariscar novamente. Como diria Roberto Carlos, disse eu ao Linux; “Eu voltei, agora pra ficar, porque aqui, aqui é meu lugar”.

Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+.