Valve só virá para Linux se encontrar desenvolvedores apaixonados pelo projeto

Share

Esta manhã eu entrei no blog Phoronix e li uma matéria que me fez pensar. No post “A New Post From Valve; More Linux Love Needed”, Michael Larabel cita a matéria de Michael Abrash, da Valve, em seu blog quando ele diz que “devemos fazer o que amamos”.

No post de Larabel do Phoronix, ele cita ainda que esta semana ele ouviu de outro desenvolvedor da Valve que a empresa precisa de desenvolvedores talentosos para dar prosseguimento ao projeto de portar os games para Linux. Segundo Larabel, ambos os fatos querem dizer que “os incríveis planos para Linux não irão se concretizar com bons votos e poderes mágicos, eles precisam de mais desenvolvedores Linux para transformar seus ambiciosos planos de jogos no Linux uma realidade”.

Isso tudo me fez pensar muito. Algo que vemos recorrentemente na comunidade Linux (principalmente nós blogueiros que lidamos com um grande público) são usuários que querem muito alguma ferramenta ou aplicação rodando em seu sistema, ou ainda uma solução “milagrosa” para suas necessidades, porém o que é extremamente raro de ver são desenvolvedores e programadores que estejam dispostos a fazer alguma coisa. Não estou generalizando, pois realmente temos muitos desenvolvedores engajados na comunidade e nos seus projetos, porém infelizmente eles refletem a minoria da comunidade.

Por outro lado, temos que entender que: não é por que levantamos a bandeira do Software Livre que TUDO que envolve o Software Livre não tem algum custo. Pra você usuário realmente o Software Livre não tem custo, porém pras equipes de desenvolvimento e administradores de sites existe custos, e que muita das vezes são altos. Esse pessoal precisa pagar serviços de hospedagem, links de internet, adquirir equipamentos, sem contar as suas contas e necessidades individuais.

Estamos em um momento muito bom para o Linux: games sendo portados, grandes empresas se preocupando com os usuários que usam Linux, a própria Microsoft liberando serviços para Linux, e muito mais, porém quem muita das vezes está “arregaçando as mangas” nestes projetos, são os desenvolvedores destas próprias empresas que muita das vezes não são usuários Linux: são desenvolvedores que fazem por que são pagos, e não por que amam (e são pagos).

Será que a paixão pelo Software Livre acabou? Será que os verdadeiros apaixonados da atualidade são “N00bs” que acabaram de descobrir as maravilhas do Software Livre? Onde estão os “Richard Stallman”, os “Linus Torvalds” e os “MadDog” da nossa era?

Richard Stallman