Novas leis de privacidade infantil na Internet entram em vigor

Share

Os EUA estão reforçando à partir de hoje a proteção de dados para as crianças, cada vez mais expostas na internet (principalmente em dispositivos móveis). As novas regras, impostas pela comissão federal do comércio (FTC) dos EUA alargam a noção de “informação pessoal” e proíbem o acesso à geolocalização, às fotografias e aos conteúdos de áudio e vídeo das crianças. “Os serviços online deixam de poder monitorar secretamente o que uma criança faz na internet e orientá-la com publicidade”, de acordo com seu perfil, explica Jeffrey Chester, do Centro para a Democracia Digital, que há quatro anos defende a mudança das regras.

crianca-internetApesar das normas serem aplicáveis, em primeira instância, somente nos Estados Unidos a grande maioria dos serviços utilizados em todo mundo (inclusive aqui no Brasil), como o Google e o Facebook, ficam hospedados em servidores dentro dos EUA, ou seja, esta acaba sendo uma decisão que afetará grande parte da internet mundial.

19 grupos de defesa dos consumidores vem defendendo novas medidas que consideram necessárias para proteger as crianças e ajudar os pais a ensiná-las a usar smartphones e tablets, porém estudos apontam que estas regras estão muito focadas na proteção de danos e menos na funcionalidade. Isso significa que os sites podem “ignorar as regras e a idade dos usuários ou, se forem dirigidos a crianças, vão reduzir as suas funcionalidades”.

Outros especialistas dizem que as regras vão ter pouco impacto porque as crianças sabem usar melhor a internet do que os seus pais. Portanto, vão arranjar meios de contornar os controles impostos. Segundo Stanley Holditch, especialista em segurança online da McAfee, em um estudo recente, 85% das crianças norte-americanas, entre os dez e os 12 anos, usam o Facebook – este está previsto para jovens a partir dos 13 anos. Na mesma faixa etária, um quinto confessou ter excluído o seu histórico de busca ou navegou na Internet em modo privado para evitar ser detectado; e 10% se utilizou de configurações de segurança para esconder algum conteúdo dos pais.

No ano passado nós publicamos uma matéria do Dionatan Simioni, do blog Diolinux, no qual se aborda diversos tópicos amplamente discutíveis sobre a importância do controle dos pais no “dia-a-dia” na internet dos seus filhos, uma vez que é extremamente sadio o convívio desde cedo com as novas tecnologias a fim de trabalhar algumas importantes áreas como a motora e cognitiva apesar de ser em mesmo nível perigoso para introdução precoce de certos conteúdos.

Como manter um controle sob meus filhos no Linux?

Existem diversas aplicações, bem como diversas maneiras de você manter um controle efetivo sob o que seus filhos usam, utilizam e acessam num computador Linux. Nós ressaltaremos duas aplicações bem interessantes que são muito intuitivas e podem ser facilmente configuradas, tanto por usuários avançados como iniciantes:

Gnome Nanny

Com ele você pode controlar o tempo do seu “Little Tux” no computador, quais sites eles podem visitar, quais dias da semana eles podem usar o PC, chats, MSN e muito mais. Para instalá-lo no Ubuntu clique aqui eu procure por “nanny” na Central de Programas.

Captura de tela de 2013-07-01 14:06:01

Web Control

Ele é uma aplicação via browser com muito mais opções de configuração do que o Gnome Nanny, porém ele é voltado pra acesso web.

Screenshot-WebContentControl (1)

Com informações daqui