Guia definitivo: repositórios do Ubuntu (por país).

Share

Editar de forma adequada o arquivo /etc/apt/sources.list é de fundamental importância para quem quer ter um acesso “saudável” a determinados pacotes. Ou seja, para quem usa Ubuntu (ou outras distros com a ferramenta APT implementada) é muito fácil: é só rodar “apt-get update” (para resincronizar índices de pacotes) e depois “apt-get install nome_do_pacote_alvo”.
E é por isso que a modificação ou adição de repositórios no arquivo “sources.list” deve vir acompanhada de muita resposabilidade. Uma entrada inadequada de linhas nas fontes como:

–> Repositórios com versões trocadas (diferentes de seu Sistema original. Ex.: você usa Ubuntu 9.10 – não mais suportado e inclui uma linha de repositório do 10.04);
–> Repositórios desconhecidos (Não se sabe ao certo de onde vem aquele repositório e nem o que, de fato, os pacotes realmente fazem) e;
–> Repositórios com linhas mal formadas;
Pode levar, dentre outros problemas, a instabilidade do Sistema Operacional, a instalação de um componente “malware” inesperado e ao aparecimento de respositórios não funcionais ou inatingíveis.

E mais, para quem trabalha com várias versões do Ubuntu em uma organização/empresa (ou para quem usa essa distro em casa) e por algum descuido apagou o /etc/apt/source.list, sempre é um trabalho indejeado ir atrás de todas aquelas linhas que foram iniciamente escolhidas com tanto zelo. Sempre que isso acontece comigo, eu começo a fazer buscas na internet e me deparo com uma “colcha de retalhos”, onde as pessoas misturam os repositórios que estou buscando com outros de interesse delas mesmas (que sabe-se lá de onde vem). E infelizmente, se não temos muita prática, fica difícil de separá-los… Foi numa dessas “peregrinações” que encontrei uma ferramenta que é uma ótima ajuda para todos os usuários Ubuntu: O Gerador de Fontes (repositórios) do Ubuntu –> Ubuntu Sources List Generator <–

Neste site, você pode:

–> Selecionar o país de origem do repositório desejado;
–> Selecionar a versão do Ubuntu (claro, só as atualmente suportadas. Tem para 8.04. Não é demais?!);
–> Opção de subdivisões dos repositórios do Ubuntu com breve explicações (Ubuntu Branches);
–> Opção de repositórios de atualização do Ubuntu (Ubuntu Updates);
–> Opção de repositórios para parceiros Ubuntu como plugins Flash e Java (Ubuntu Partner);
–> E por fim uma terceira parte extra de repositórios (3rd Parties).

Depois de marcadas as opções desejadas é só clicar em no botão “Generate List” no fim da página. Tudo certo! Agora você tem uma lista com apenas os repositórios escolhidos e o melhor: sem linhas “intrusas”.

fonte:

http://repogen.simplylinux.ch/

Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+.