#DicasLPI – Personalizar e trabalhar no ambiente shell – Parte 2

Share

Iniciando um novo ano daremos continuidade no último post inciando um novo tópico, funções. Para simplificar tarefas recorrentes, é possível escrever funções que aglutinam comandos. Podem ser escritas na linha de comando, scripts ou arquivos de configuração.

 Funções

É um conjunto de comandos que executam determinada tarefa. As funções são executadas no shell corrente, não sendo criado um novo processo para interpretá-las.

 function

Utilizado para definir uma função. A função será executada quando seu nome for especificado como um nome de comando.  O código de retorno de uma função é código de retorno do último comando executado.

[function] nome () {comandos;}

Dissecando:

function: Palavra reservada. Se for escrita, os parênteses poderão ser omitidos.

nome: Nome da função a ser definida.

{}: Delimitadores de comandos. Devem estar separados dos comandos por espaços, tabs, newlines, porque as chaves são palavras reservadas.

comandos:  Comandos que compõem a função.

Exemplo:

function fexample

{

#Passagem de parâmetros

echo Li $# parâmetros

echo O primeiro parâmetro foi o valor $1

}

Esta função pode ser chamada da seguinte forma:

# fexample 9 6 5

Será apresentado o seguinte resultado:

Li 3 parâmetros.

O primeiro parâmetro foi o valor 9.

Um detalhe a ser observado, a carga na memória é feita por meio do comando source e podendo ser eliminada pelo comando unset.

Sugestões, materiais e complementações referente ao assunto, favor enviar no email ludolf@sejalivre.org.

Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+.