#DicasLPI – LVM

Share

Dentre os novos objetivos do exame LPIC – 1, o LVM, é um dos novos tópicos a serem cobrados. Hoje apresentaremos uma abordagem  sobre o assunto, bem como, seus benefícios e funcionalidades na utilização dessa poderosa ferramenta.

LVM

O LVMLogical Volume Management – é um método que permite interagir com os dispositivos de armazenamento de maneira integrada, sem lidar com peculiaridades inerentes ao hardware. Utilizando o LVM, é possível redimensionar e incluir espaço em disco, sem a necessidade de reparticionamento ou de reinstalação do sistema operacional. O LVM pode ser dividido em cinco elementos fundamentais:

VG: Volume Group – Nível mais alto de abstração do LVM. Reúne a coleção de volumes lógicos (LV) e volumes físicos (PV) em uma unidade administrativa.

PV: PhisicalVolume – Tipicamente um disco rigído, uma partição de disco ou qualquer dispositivo de armazenamento de mesma natureza, com um dispositivo RAID.

LV: Logical Volume – O equivalente a uma partição de disco tradicional.

PE: Phisical Extent – Cada volume físico é dividido em pequenos pedaços, chamados PE. Possuem o mesmo tamanho do LE (Logical Extent).

LE: Logical Extent  – Semelhante ao PE, cada volume lógico também é dividido em pequeno “pedaços”, chamados LE. Seu tamanho é o mesmo para todos os volumes lógicos.

Vantagens/Desvantagens

Algums vantagens podemos listar abaixo:

  • Redimensionamento de partições em tempo real;
  • Junção de várias partições em uma única;
  • Criação de imagens de backup

 Desvantagens:

Acesso mais lento.

Utilização:

A utilização do LVM já foi abordada aqui no Seja Livre, conforme os endereços abaixo:

https://sejalivre.org/redimensionando-particoes-no-linux-com-lvm/

Parte 2:

https://sejalivre.org/redimensionamento-de-particoes-com-lvm-parte-ii/

Fonte

Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+.