#DicasLPI – 102.5 – Utilização do sistema de pacotes (YUM)

Share

Já abordamos diversas vezes sobre o gerenciador de pacotes YUM. Porém, ainda, não comentamos sobre seus arquivos de configuração que são objetivos da LPI, então, vamos lá !!!

O gerenciador YUM 

O arquivo principal de  configuração  do yum e seus utilitários estão localizados no /etc/yum.conf. Este arquivo contém uma seção obrigatória [main], ao qual, permite configurar opções de efeito global, e também pode conter uma ou mais seções [repository], o qual permite configurar opções de repositórios específicos. Contundo, as melhores práticas é especificar os repositórios individualmente em um arquivo novo ou existente com extensão .repo no diretório /etc/yum/repos.d /. no arquivo de configuração, /etc/yum.conf, podemos determinar como serão diversos comportamentos do programa. Algumas opções padrão desse arquivo são:

cachedir: Diretório de armazenamento dos pacotes e demais arquivos de dados. Padrão: /var/cache/yum;

keepcache: Valor 1 ou 0. Determina se o yum deve manter os pacotes e arquivos relacionados após a instalação

reposdir: Lista de diretórios em que o yum irá  procurar arquivo .repo, que define os repositórios. Os padrões são /etc/yum.repos.d e /etc/yum/repos.d. Cada arquivo dentro desses diretórios deve conter uma seção [repositório] que define o repositório a ser usado. Estes serão unidos àqueles repositórios eventualmente definidos no próprio arquivo /etc/yum.conf;

debuglevel: Nível da mensagens de aviso. Níveis úteis vão de 0 à 10. O padrão é 2.

errorlevel: Nível de mensagens de erro. Níveis úteis vão de 0 à 10. O padrão é 2.

logfile: Caminho absoluto para o arquivo de log do yum;

gpgcheck: Aceita os valores 0 ou 1. Para habilitar ou desabilitar verificação de assinatura GPG;

plugins: Valores 0 ou 1. Desabilita ou Habilita plugins.

Opções de configurações [repositorio]

Os arquivos .repo definem os repositórios e opções específicas a cada um deles. Essencialmente, eles devem conter ao menos uma seção [repositorio], com as seguintes diretivas:

[identificador]: Termo único que identifica cada repositório;

name: Texto de descrição do repositório;

baseurl: URL  onde está localizado o diretório  “repodata” do yum, podendo ser uma URL http://, ftp:// ou file://.

Outras opções:

enabled: Valor 1 ou 0. Determina se o repositório deve ser usado;

gpgcheck: Valor 1 ou 0. Determina se deve ser realizada a verificação GPG para os pacotes desse repositório.

Gerenciamento do Yum

O gerenciamento do yum descrevemos na saga “Entrando de cabeça no yum” nos endereços abaixo:

https://sejalivre.org/entrando-de-cabeca-no-yum/

https://sejalivre.org/entrando-de-cabeca-no-yum-parte-2/

https://sejalivre.org/entrando-de-cabeca-no-yum-parte-3/