Conversão de arquivos online: uma boa alternativa para Linux

Share

Quando Richard Stallman criou a Free Software Foundation o estímulo inicial foi a negativa em ter acesso ao código fonte do driver de uma impressora. Isso todo mundo sabe desde que o mundo é mundo.

E hoje vemos no que deu. Talvez fosse mellhor se a Xerox tivesse permitido acesso ao tal driver, se pudesse ver o futuro… mas não podia! Havia muito “se” na história toda.

Mas desde que o mundo é mundo tudo muda, e 30 anos depois vemos uma modalidade de serviço que está substituindo o software instalado, sob qualquer licença: o faça-tudo-online.

Quero citar apenas dois exemplos que acho importante: edição colaborativa de projetos e conversão de arquivos. Você não instala nada no seu computador e ao mesmo tempo quebra uma barreira que foi uma verdadeira dor de cabeça para os usuários do linux: a existência de aplicativos que fizessem estas tarefas com a mesma qualidade em qualquer sistema operacional.

Como somos uma “minúscula minoria” (desculpem o pleonasmo), muitos desenvolvedores sentem-se desestimulados em criar uma versão de seu software que nos atenda, pois a demanda não vale o esforço.

Dois exemplos clássicos são o songbird e o netflix, e pararemos por aqui para não complicarmos mais as coisas. A origem do próprio wine remonta à necessidade de se encontrar uma resposta a esta demanda, permitindo usar softwares do windows no pinguim. Não é a toa que se tornou o beta mais longo de todos os tempos, exatos 10 anos!

Se você tem uma boa conexão internet e para arquivos até uns 25MB, é mais prático trabalhá-lo na internet do que baixar e instalar vários softwares para obter o mesmo efeito. Inclusive com formatos proprietários como epub, pdf, doc etc.

Veja abaixo um site que oferece uma gama de serviços online gratuitamente, necessitando apenas de um bom navegador – o que temos há tempos:

conversor online
http://www.online-convert.com/

Apenas o céu é o limite e uma barreira histórica cai subitamente. Não ficamos limitados mais a nossa plataforma e damos asas à imaginação!!!

Mas aí que reside o problema, e um sério problema: não temos controle sob os softwares utilizados no site. Com certeza usaremos codecs proprietários que nos restituirão um trabalho bem feito mas com restrições das mais diversas.

E a FSF não tem como ser a guardiã dos bons costumes neste campo, a não ser recomendar que linuxers criem um serviço totalmente livre, com softwares livres e que permitam a todos manterem-se livres de qualquer ação restritiva no futuro.

Artigo enviado por: Antonio Carlos Vasques da Silva

Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+.