Conhecendo o Asterisk

Share

O Asterisk é um sistema bem modular e possui muitos arquivos de configuração. Muitos deles nós nem iremos mexer (não por não haver necessidade, por falta de conhecimento da minha parte! mas se vocês tiverem curiosidade e puder compartilhar com agente também =D ). Esses arquivos possuem uma estrutura padrão para todos eles. Os diretórios também são muito bem organizados.

 

 

Links para os dois primeiros posts:

VoIP e Asterisk: https://sejalivre.org/?p=5556

Instalando o Asterisk: https://sejalivre.org/?p=5768

 

Arquivos de configuração

 

agents.conf – Filas de atendimento

crd.conf e crd_odbc.conf – Bilhetes de chamadas

extensions.conf – Plano de discagem, a lógica do IPBX

sip.conf – Configuração dos clientes SIP

 

Não vou falar sobre todos os conf’s, por enquanto são esses que nós usaremos.

 

Estrutura dos arquivos de configuração: Todo arquivo de configuração segue a mesma sintaxe, onde há a definição de uma sessão e abaixo desta sessão vão as opções. Exemplo:

 

[sessão]

opção 1 = valor

opção 2 = valor

 

O fim de uma sessão se dá pelo começo de outra.

 

Configurando o sip.conf:

 

O sip.conf é o arquivo onde configuramos os canais de comunicação que utilizam o protocolo SIP. Há outros protocolos mas usarei apenas o SIP neste exemplo.

 

Sessão general: Define as opções que serão HERDADAS pelas outras opções. Se a mesma sessão está setada em general e em outra sessão e com valores diferentes, o valor que prevalecerá é o valor da outra sessão.

 

Algumas opções da sessão general:

 

context – Define o contexto-padrão para recebimento de chamadas. Entenderemos contexto mais adiante.

udpbindaddr – Especifica o endereço IP da interface que aceitará conexões,

bindport – Especifica a porta de comunicação do Asterisk. Padao é UDP 5060

transport – Define o protocolo de comunicação. Padão é udp

language – Define o idioma para os arquivos de audio.

allow – Habilita a utilização de Codecs específicos

disallow – Desabilita a utlização de Codecs específicos

 

 

Algumas opções dos canais de comunicação:

 

allow – Habilita a utilização de Codecs específicos

disallow – Desabilita a utlização de Codecs específicos

callerid – Identificação do canal de comunicação

context – Define o contexto do ramal, veremos isso na configuração do extensions.conf

host – Define o endereço IP do host

deny/permit – Limita o trafego. Aqui você pode determinar em que rede esse telefone pode ou não fazer e receber ligações.

defaultuser – Nome de usuário

secret – Senha do canal (peer)

dtfmode – Forma como os digitos são interpretados. Padão é info.

type – Define se um canal pode receber ou fazer ligações. user só faz chamadas, peer só recebe chamadas e friend faz e recebe.

 

Esse é um exemplo de configuração do arquivo /etc/asterisk/sip.conf:

 

[general]

context = ura

udpbindaddr = 0.0.0.0

tcpbindaddr = 0.0.0.0

bindport = 5060

transport = udp

language = pt_BR

 

[ramal](!) ; <- O “(!)” define um template

disallow = all

allow = alaw,ulaw,ilbc

context = ramais

host = dynamic

dtfmode = info

type = friend

 

[9001](ramal) ; Definição do canal 9001

callerid = Secretaria <9001>

secret = KLdhsa$@#DS

 

[9002](ramal)

callerid = Diretor <9002>

secret = KLdhsa$@#DS

 

 

Neste arquivo de configuração temos uma configuração bem básica onde há dois ramais apenas. Ainda temos que configurar o extensions.conf para começarmos a brincar com o Asterisk.

 

 

 

FONTE: Asterisk na prática – Alexandre Keller – novatec

 

 

 

Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+.