Como alterar corretamente as configurações de DNS no Ubuntu?

Share

Se você usa ou já usou o Debian, e alguma vez precisou alterar as configurações de DNS nele, deve se lembrar que precisou editar um único arquivo: o /etc/resolv.conf. No Ubuntu, que por sua vez é derivado do Debian, o processo sempre foi o mesmo, porém desde a versão 12.04, a atual versão estável, a Canonical decidiu mudar um pouco as coisas.

Seguindo o “ideal” de tornar o Ubuntu uma distro cada vez mais “diferente” da sua mãe (o Debian), a Canonical tem alterado diversas coisas no Ubuntu. Não só no que diz respeito a visual e interação com o usuário, mas também em aplicações e funcionalidades de back-end que, a maioria esmagadora dos usuários, nem se quer sabem mexer. E uma destas coisas foi o resolv.conf, que apesar de ainda existir no Ubuntu, é escrito automaticamente pelo NetworkManager e não pode (e nem deve) ser alterado manualmente.

Após muitos usuários  terem se desesperado e se descabelado (como webdesigners, webmasters e Sys Admins, que recorrentemente necessitam alterar as configurações de DNS da sua máquina), surgiram tutoriais na internet (como este aqui no Seja Livre) que trouxeram “soluções” a este problema…. porém nem sempre estas soluções funcionaram.

Hoje irei apresentar aqui uma (ou mais uma) solução a este problema e eu gostaria de que você compartilhasse conosco nos comentários se você encontrou outra solução ou como está fazendo para driblar o “novo resolv.conf”. Ressalto que este tutorial é válido apenas para as versões 12.04 em diante.

Bom, para isso nós iremos editar o arquivo /etc/network/interfaces, o qual possui a finalidade de reunir as configurações sobre as conexões de rede do seu sistema, como IP, placa de rede, gateway e etc.  Vamos abri-lo?

sudo gedit /etc/network/interfaces

Ao abrir o editor de textos Gedit, você verá algo semelhante a isso:

# The primary network interface
auto eth0
iface eth0 inet static
address 192.168.1.200
netmask 255.255.255.0
gateway 192.168.1.1
dns-nameservers 192.168.1.1

Logo após a última linha nós iremos inserir nossas configurações específicas de DNS

dns-domain example.com
dns-search example.com

E nosso /etc/network/interfaces ficará assim:

# The primary network interface
auto eth0
iface eth0 inet static
address 192.168.1.200
netmask 255.255.255.0
gateway 192.168.1.1
dns-nameservers 192.168.1.1
dns-domain example.com
dns-search example.com

Não se esqueça de substituir example.com pelo seu DNS, como por exemplo o DNS do Google 8.8.8.8 ou um dos servidores de DNS raíz, como o 4.2.2.2.

Mas por que a Canonical “dificultou” a nossa vida?

Na verdade a intenção dela não foi de dificultar mas sim de facilitar…. só que facilitar a vida dos usuários novos que, quando tinham problemas de DNS, tinham que editar manualmente o resolv.conf e acabavam fazendo alguma besteira… e essas besteiras sempre resultavam em algo nada agradável: suas máquinas não conseguiam resolver IPs de internet em nomes (domínios ou URLs), ficando praticamente “sem internet”.

Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+.