Ciberguerra: hackers atacaram sistema de satélites dos EUA

Share

Segundo a agência Bloomberg, a interferência seria uma iniciativa da China; ações desse tipo podem levar à destruição do equipamento e ao controle de transmissões.

A chamada ciberguerra é cada vez mais real. Segundo a agência Bloomberg, hackers atacaram sistemas de satélites do governo dos Estados Unidos quatro vezes, entre os anos de 2007 e 2008. O fato faz parte de um relatório do congresso norte-americano que deve ser divulgado no mês de novembro.

Os alvos eram utilizados para captar informações da superfície da Terra e para controle do clima. Segundo o relatório da  U.S.-China Economic and Security Review Commission, comissão que estuda questões econômicas e de segurança relacionadas aos EUA e à China, o caso deixa claro o perigo que os hackers representam.

O documento deixa claro que o acesso aos satélites pode levar à destruição do equipamento ou mesmo à manipulação das transmissões.  Segundo o documento, só o satélite Landsat-7 teve interferências geradas por um ataque por pelo menos 12 minutos em outubro de 2007 e julho de 2008. Acredita-se que os hackers utilizaram na ação a conexão à Internet de uma estação especial localizada na Noruega, o que levou ao sistema de satélites.

A China tem sido apontada como responsável por vários ciberataques a outras nações ou mesmo empresas, com o governo negando participação. Em junho as autoridades chinesas negaram que os ataques que vitimaram contas de e-mail de oficiais americanos partiram do país – mais especificadamente da cidade de Jihan.
Na época, a  Google afirmou, via nota no blog oficial, que uma ofensiva contra o serviço atingira funcionários dos governos dos Estados Unidos e da Coréia do Sul, além de ativistas políticos na China e jornalistas desses países.

Documentos divulgado pelo site Wikileaks afirmam que o  governo chinês teria sido o mandante de um ataque aos servidores do Google em dezembro de 2009.

 

————————
Fonte: IDG Now!

 

——————–
# [penelope_c]
# \o/

Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+.