Canonical, Mir e GPLv3: será que vem falcatrua ai?

Share

Ultimamente a “mídia Linux” vem caindo de pau em cima da Canonical e do Ubuntu. Basta um assunto que possa ser interpretado diferente do que se desejava passar, pronto: vamos falar mal do Ubuntu e da Canonical.

Antes de mais nada quero deixar claro que não sou funcionário da Canonical e não recebo sequer 1 centavo pra falar bem ou mal dela, porém sou usuário Ubuntu, membro da Comunidade Ubuntu-BR e do LoCo Ubuntu-BR-SP, ou seja, uso Ubuntu e creio no potencial que nossa comunidade tem.

Desde Março deste ano (2013) a Canonical vem implementando no Ubuntu o Mir – um servidor gráfico amplamente otimizado para o Unity que substitui o antigo “Servidor X”. Não preciso nem falar que só foi a Canonical anunciar o Mir, a mídia caiu em cima: “Sempre a Canonical querendo ser a diferente” ou “Por que não continuar com o X?”, sendo que o Fedora está migrando pro Wayland – um outro servidor gráfico muito mais otimizado e performático que o X (o X já está a quase 30 anos no mercado) e ninguém falou nada contra a iniciativa do Projeto Fedora.

Recentemente a Canonical decidiu licenciar o Mir sob a GPLv3, que é a mais atual versão da Licença GPL (a mais usada no universo do Software Livre), e como já é de costume a mídia já começou a falar mal. Na semana passada o blog Phoronix, um dos mais conceituados blogs da “mídia linux” internacional, publicou uma matéria comentando o post de Matthew Garret (Engenheiro de Software da Red Hat que ficou famoso por denunciar as intenções da Microsoft com o UEFI) que fala sobre a decisão da Canonical em licenciar o Mir sob a GPLv3. Segundo ele a decisão teria sido uma jogada comercial da empresa para que, no futuro, a mesma pudesse re-licenciar o Mir (pensando no Ubuntu Touch) para uma licença de código fechado.

Mas o que diz mesmo a GPLv3

A licença, assim como as outras versões da GPL, foi criada pela FSF (Fundação do Software Livre) afim de atualizar os licenciamentos de software livre para as novas leis de direitos autorais americanas. Nela está contido os mesmos tópicos que a GPLv2 porém com a adição abaixo:

A GPLv3 agrega vários exemplos de restrições adicionais que ferem o princípio do preâmbulo das GPLs de que os direitos concedidos na GPL acompanham a obrigação de não negá-los a outros usuários do programa.

Distribuir software e depois limitar seus usos através de patentes nele implementadas é uma restrição adicional que, pela lei norte-americana, a GPLv2 já proibia de forma implícita. Na GPLv3, a licença de patente passou a ser explícita. O uso de patentes para impor restrições adicionais às liberdades de qualquer outro usuário com relação ao programa, modificado ou não, viola a licença.

Leis draconianas que criminalizam a desativação de DRM (Digital Restrictions Management, ou Gestão Digital de Restrições: são medidas técnicas de controle de acesso a informação em formato digital), mesmo para usos permitidos por lei, também não podem ser usadas para impedir usuários de modificar o software GPL. (texto retirado deste site onde Alexandre Oliva, representante da FSF Latin American, apresenta as novidades da GPLv3. Clique no link e leia mais sobre o assunto)

A GPLv3 nada mais é do que uma licença mais abrangente e que infelizmente pode ser interpretada de forma errônea, porém nunca na forma como Matthew interpretou ao dizer que a Canonical pode “fechar o Mir” tendo em vista o possível sucesso do Ubuntu Touch.

Se você não sabe a Canonical assumiu um compromisso com a Comunidade de manter o Ubuntu SEMPRE Livre e aberto (conforme você pode ler neste link e neste link). E o Mir é parte do Ubuntu. Ele não é um software adicional (como o Steam, por exemplo) que pode ou não ser instalado no mesmo. Logo ele nunca será fechado.

Se fosse assim a Mozilla também estaria dando “jogadas de marketing” uma vez que o Firefox não é licenciado por nenhuma GPL. Ele tem a licença da própria Mozilla (Mozilla Public License 2.0. Abra seu Firefox e digite about:license). Ou os desenvolvedores do GIMP estariam tramando fechá-lo, pois o mesmo está sob GPLv2 ou GPLv3 – o usuário que escolhe:

Captura de tela de 2013-06-24 12:57:50

Minha gente não estou aqui querendo colocar minhoca na cabeça de ninguém ou defender empresas. Só peço que aproveitemos esses momentos de protestos e manifestações que nosso país está passando e “entremos na onda”. Vamos deixar de acreditar em tudo que lemos e procurar saber o que realmente se passa no escopo completo.