Richard Stallman vs Ubuntu: e agora, qual lado devo escolher?

Vinícius Vieira 26/03/2013 6
Richard Stallman vs Ubuntu: e agora, qual lado devo escolher?
Share

Não é novidade pra ninguém a célebre “briga” entre Richard Stallman, fundador do movimento do Software Livre e do Projeto GNU, e o Ubuntu. Pra exemplificar podemos citar o recente flame sobre as exibições de conteúdo publicitário da Amazon no Dash do Unity, relacionados ao “envio de dados não autorizados” dos usuários, envolvendo Stallman e a Canonical.

Mas, apesar do título, não é sobre isso que vamos falar aqui hoje…

As portas do FLISOL (Festival Latino-americano de Instalação de Software Livre) Stallman decidiu proferir um ataque surpresa ao Ubuntu, enviando um e-mail a organização do FLISOL “pedindo para que não promovessem o Ubuntu no evento”, sob a premissa de que “seria um erro escolher o Ubuntu como Sistema Operacional Livre”:

A questão que quero levantar é sobre o que deve acontecer nos FLISOLs. Dar cópias do Ubuntu ou não? Promover o Ubuntu ou não? Peço aos organizadores do evento que não distribuam ou promovam o Ubuntu. (…)

Não há um conflito entre a liberdade de um usuário e meu pedido. Se alguém decidir instalar o Ubuntu, eu consideraria isso um erro, mas é sua escolha para fazê-lo. O que eu peço é que vocês não participem, ajudem ou sugiram que os usuários façam isso. Eu não estou pedindo que vocês proíbam os usuários de fazê-lo.

Por uma questão de princípio, eu não acredito que ninguém tem o direito, moral, para distribuir o software proprietário, ou seja, software que priva os usuários de liberdade. Quando o usuário controla o seu próprio software, ele pode instalar o que ele quer e ninguém pode impedi-lo. Mas a questão hoje não é sobre ele, o que ele faz, mas sim o que você faz com ele. (leia mais aqui)

Segundo descrito pela própria FSF (Free Software Foundation), um Software Livre, software de código aberto ou software aberto é qualquer programa de computador cujo código-fonte deve ser disponibilizado para permitir o uso, a cópia, o estudo e a redistribuição, e logo todo software livre deve ter uma licença de software livre anexada ao código-fonte, afim de informar quais os direitos que o autor estará transferindo e quais as condições que serão aplicadas ao software.

Dito isto, será que o Sistema Operacional Ubuntu atende estes pré-requisitos? Quais as políticas de licença aplicadas pela Canonical no Ubuntu?

Se lermos o conteúdo desta página, veremos claramente a posição da Canonical (responsável pelo desenvolvimento do Ubuntu em conjunto com a Comunidade de Desenvolvedores) com relação as licenças de software aplicadas ao Ubuntu. Segue abaixo uma parte que gostaria de ressaltar:

Todos os aplicativos instalados com o Ubuntu por padrão são softwares livres. Você pode instalar alguns drivers de hardware que estão disponíveis apenas em formato binário, porém os pacotes estão claramente marcados como componentes restritos.

Ou seja, o “Sistema Operacional Ubuntu” é um Software Livre e está licenciado como tal. Em contrapartida o usuário pode optar por instalar pacotes ou aplicações proprietárias em seu sistema, assim como é em qualquer distribuição Linux.

Um Sistema Operacional é na verdade um conjunto de softwares. Logo, se o Ubuntu é penalizado por disponibilizar aos seus usuários condições de instalar softwares que não estão sob licenças de código-aberto, outras inúmeras distribuições também o deveriam ser, tendo em vista que o Google Chrome, o navegador do Google, está presente na maioria dos repositórios das principais distribuições (o navegador aberto e livre é o Chromium, e não o Chrome).

1936 - bomb gentoo richard stallman ubuntu

Ok, e a questão dos conteúdos da Amazon?

De fato, sob o meu ponto de vista, a Canonical deveria sim mudar a política de implementação dos conteúdos publicitários, uma vez que os mesmos deveriam vir desativados por padrão e ativados quando o usuário quisesse. Porém, apesar de enxergar isso, não acho justo as acusações de “spyware” que Stallman iniciou, nem tão pouco o mesmo afirmar “ser um erro instalar o Ubuntu como um Software Livre”.

Se voltarmos no tempo iremos lembrar (principalmente se você é usuário Linux a pelo menos uns 8 anos) que todo ano se ouvia: “Esse será o ano do Linux para Desktops” ou ainda “Esse ano o Linux terá condições de competir com o Windows”, e etc. Porém isso realmente começou a acontecer a pouco mais de 2 anos atrás. E por que isso só aconteceu agora? Quem foi a grande responsável por “levantar a moral do Linux” no mercado? A Canonical com o Ubuntu!

Como exemplo podemos citar a parceria da Canonical com a Dell em fornecer notebooks pré-instalados com Ubuntu, o Ubuntu para Android e a Ubuntu TV na WMC em 2012, o Steam para Linux (que no início era apenas “Steam para Ubuntu”, pois as outras distros atacaram a decisão da Canonical em autorizar games pagos no Ubuntu. Até que a Valve, e alguns membros das comunidades, decidiram portar o Steam para outras distros… hoje todos usam o Steam e ninguém mais reclama de nada), o Ubuntu Touch e etc.

As coisas começaram a mudar de figura depois que a Canonical decidiu promover o Ubuntu como um sistema operacional a altura do que o mercado quer: um sistema fácil, integrável e funcional. E apesar da jogada de marcado por trás do Ubuntu, o mesmo não deixou de ser livre e aberto.

Mas por que Stallman parece estar decido a atacar o Ubuntu? Será que a briga já se tornou pessoal?

Sinceramente eu sinto cheiro de hipocrisia no ar.. quem nunca viu a famosa imagem de Stallman usando seu notebook, o qual continha um adesivo “MP3 is not a crime”?

Richard Stallman

Richard Stallman

Se você não sabe, o MP3 é um formato NÃO licenciado como Software Livre… (saiba mais aqui).

E ai Stallman, explica essa agora!

PUBLICIDADE


Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+. Se você usa ORKUT, nós também estamos lá, inclusive no IDENTI.CA e Linkedin.

  • http://twitter.com/icarolongo Ícaro Longo

    É simples, a questão é: o Ubuntu recomenda software proprietário e o
    Linux(Linux é o kernel) contém firmware não livre, não é atoa que a FSF
    criou o Linux-libre, limpando o Linux e removendo tudo que não é livre
    dele. A FSF recomenda uma distro bastante simples para usuário final
    chamada Trisquel (baseada no Ubuntu), o qual eu uso diariamente nos
    servidores e desktops. O Trisquel não recomenda e não possui nenhum
    driver/firmware não livre nos repositórios, então o usuário só pode
    instalar software proprietário se for por fora.

    Não é popularidade. É a recomendação fortíssima do Ubuntu em recomendar
    software não livre. Voce pode ver isso no Ubuntu Software Center, onde
    existem vários programas gratuitos mas proprietários. O foco do Ubuntu
    está na gratuito, não no livre.

    E”MP3″ está bastante relacionado a “música digital”, provavelmente
    aquele adesivo do laptop x86 (hoje ele usa MIPS da Lemote) de Stallman é
    relacionado a isso. “MP3 não é crime” – ou seja: “Baixar e compartilhar músicas não é crime”. Tanto que Stallman no seu site oficial (stallman.org) usa exclusivamente Ogg e WebM e não recomenda nenhum formato patenteado.

    *Esse Disqus é ruim, precisa sempre de alguma conta (de serviços não livres) para comentar. Por que não posso simplesmente digitar meu email e nome e comentar?

    • sejalivrelinux

      Olá Ícaro! Primeiramente obrigado pelo comentário.

      Infelizmente nós tivemos que “fechar” nosso campo de comentários pois nem todos os nossos leitores são pessoas coerentes como você a a grande maioria. Nós tivemos sérios casos de usuários que, por não precisarem se registrar, utilizavam este espaço para atacar outros leitores e ofendê-los verbalmente, por simplesmente não concordarem com suas ideias.

  • http://www.facebook.com/people/Leandro-Franca-De-Mello/1048922960 Leandro França De Mello

    Stallman tem um valor imensurável ao desenvolvimento e consolidação do conceito e mercado do software livre.E a partir disso,passou a viver e ganhar dinheiro com sua evangelização- viajando o mundo e cobrando por suas palestras-. Talvez até devesse dá-las de graça,não é mesmo? Contudo,acho certo que as cobre.Assim como também acho certo que a Canonical,crie mecanismos sutis(?)de geração de caixa.

    Sobre as opiniões de Stallman,acho sinceramente que estas são anacrônicas e não atendem as necessidades de nenhum de nós. Qualquer atitude extremista para mim já sinal de alerta. As opiniões extremistas de Stallman não me representam. E se ele estivesse tão certo pq ele mesmo não finaliza seu kernel Hurd e o oferece como solução e alternativa ao Linux? – Pq já não é mais possível. O Linux é uma realidade de mercado. Quem manda é o mercado e somos frutos do mercado que vivemos e criamos. O Ubuntu é um player desse mercado, assim como a RedHat,o OpenSUSE,a Mandriva e todas as empresas que de TI que vendem soluções baseadas em Linux,como a IBM,por exemplo.

    O mercado de ponta de TI gira em torno das soluções livres e por isso grandes avanços tem sido desenvolvidas nesse segmento. O openSource é uma política de desenvolvimento e o mercado já a assimilou. Logo,as opiniões de Stallman contra o Ubuntu,só guarda e traz em si um ranço de alguém que não aceita e não entende as leis de mercado.

  • Márcio Novello

    POR MIM FODA-SE O UBUNTU !!
    FODA-SE !!!

  • http://palavrasvariadas.blogspot.com Thiago Nalli Valentim

    Eu sinto cheiro de Hipocrisia mesmo. Algo do EGO da pessoa por não estar envolvida diretamente com a coisa, ou pelo fato o Ubuntu ser popular entre usuários menos experientes, sem as barbas..rsrsrs Dai cria toda essa Polemica.

    • alexsandro

      nao somente isso pode ser pelo fato de o Ubuntu estar se tornando muito comercial. Apesar que tudo precisa de grana para sobreviver. Mas vamos esperar por essa estoria