Blog Seja Livre http://sejalivre.org Tue, 18 Nov 2014 17:55:29 +0000 pt-BR hourly 1 http://wordpress.org/?v=4.0.1 Livro que ensina a trabalhar com o AngularJS é lançado pela Novatec Editora http://sejalivre.org/livro-que-ensina-trabalhar-com-o-angularjs-e-lancado-pela-novatec-editora/ http://sejalivre.org/livro-que-ensina-trabalhar-com-o-angularjs-e-lancado-pela-novatec-editora/#comments Tue, 18 Nov 2014 17:55:29 +0000 http://sejalivre.org/?p=21397 Share

banner

Com aplicações cada vez maiores, melhores e mais rápidas, a complexidade a ser administrada por profissionais de desenvolvimento é cada vez maior. Soluções JavaScript/jQuery puras nem sempre têm a estrutura adequada para garantir alta velocidade no desenvolvimento ou a possibilidade de manutenção em longo prazo. Mesmo com bom engenheiros de software que criem o framework inicial, nem sempre é possível ter modularidade, possibilidade de efetuar testes e separação de responsabilidades presentes em um projeto. Os testes e a confiabilidade acabam ficando em segundo plano.

 

O metaframework AngularJS surgiu para atender a estas necessidades. Ele permite aplicar práticas-padrão de engenharia de software testadas e aprovadas e oferece uma estrutura consistente e escalável, que facilita o desenvolvimento de aplicações complexas e de grande porte.

 

O livro “Desenvolvendo com AngularJS, lançado pela Novatec Editora é indicado para os desenvolvedores de aplicações web que querem começar a trabalhar com o AngularJS, seja em um projeto secundário, como ferramenta adicional ou em sua atividade principal. O título é um guia prático que ensina a usar o metaframework passo a passo, desde os conceitos básicos até os mais avançados.

 

Com a orientação de dois engenheiros que trabalharam no AngularJS no Google, o leitor aprenderá a usar controladores para fazer os dados fluírem de e para as visões, saberá quando usar os serviços do AngularJS em vez de controladores e comunicar-se com o servidor para armazenar, acessar e atualizar dados assincronamente. Ao final da leitura, será possível desenvolver uma aplicação de grande porte, fácil manutenção e alto desempenho usando o AngularJS.

Sobre o autor:

Shyam Seshadri, proprietário/CEO da Fundoo Solutions em Mumbai, divide seu tempo entre trabalhar com produtos novos, inovadores e empolgantes para os mercados indianos e dar consultoria e realizar workshops sobre o AngularJS.
Brad Green, gerente de engenharia no Google, trabalha no projeto AngularJS e está à frente das áreas de Acessibilidade e de Engenharia de Suporte. Brad também trabalhou nos primeiros sistemas para web móvel na AvantGo, além de ter criado e vendido empresas startups.
unnamed
]]>
http://sejalivre.org/livro-que-ensina-trabalhar-com-o-angularjs-e-lancado-pela-novatec-editora/feed/ 0
Iniciativa inédita de Finish e da RB premiará soluções de universitários para a economia de água http://sejalivre.org/iniciativa-inedita-de-finish-e-da-rb-premiara-solucoes-de-universitarios-para-economia-de-agua/ http://sejalivre.org/iniciativa-inedita-de-finish-e-da-rb-premiara-solucoes-de-universitarios-para-economia-de-agua/#comments Fri, 14 Nov 2014 12:15:49 +0000 http://sejalivre.org/?p=21394 Share

banner

Estudantes universitários têm incentivo extra para ajudar São Paulo a reverter a maior escassez hídrica de sua história. Finish oferecerá R$ 30 mil em prêmios aos grupos que apresentarem as melhores soluções e ideias como aplicativos, jogos e sites para a economia de água. O desafio é o motor do HackaRB, o primeiro evento do gênero que a marca e sua fabricante, a anglo-holandesa Reckitt Benckiser (RB), promovem no Brasil.

“Além de cooperar criativamente com o futuro do planeta, queremos com o HackaRB trazer o jovem e sua curiosidade intelectual para o centro desta discussão”, afirma Monica Nascimento, gerente de categoria da RB.

A preocupação da executiva se justifica em dados divulgados recentemente na imprensa. De acordo com especialistas, serão necessários anos para a normalização dos níveis de armazenamento do sistema Cantareira, um dos mais afetados pela seca e que atende quase metade da Grande São Paulo.  Outra fonte importante na região, o sistema Guarapiranga atingiu seu pior índice – para essa época do ano – na última década.

Marcado para os dias 6 e 7 de dezembro na própria sede da companhia em São Paulo, o HackaRB mobilizará grupos multidisciplinares de universitários (estudantes de tecnologia, engenharia, design, administração de empresas, comunicação e arquitetura) a desenvolver projetos que contemplem necessariamente os pilares tecnologia, sustentabilidade e lava-louças, em uma maratona de 30 horas consecutivas de criatividade.

O evento contará também com palestras de especialistas nas três áreas, como Tallis Gomes, CEO e fundador da Easy Taxi, que darão suporte e consultoria aos participantes, e ainda julgarão os trabalhos.

Os três melhores projetos irão para a fase decisiva, quando os vencedores terão a oportunidade de defender suas ideias presencialmente a um board de executivos da RB, que elegerão a ordem final dos colocados.

Além de R$ 12.000 (doze mil reais) para dividir entre o grupo vencedor, cada integrante ganhará um Ipad Mini, uma lava-louça e um kit de produtos Finish, e ainda será convidado a participar da última fase do processo de seleção de estágio da companhia. Podem participar da maratona estudantes com formação até 2017.

As inscrições devem ser feitas exclusivamente pelo hotsite http://www.hackarb.com/. No endereço, além do regulamento completo, estão disponíveis informações e conteúdos inspiradores.

“Queremos também mostrar o potencial da categoria de lava-louças como uma parceira perfeitamente viável para atenuar a atual crise hídrica, já que o eletrodoméstico tem eficiência em economia de água comprovada por pesquisas científicas”, reforça Monica Nascimento.

Segundo pesquisa do instituto Falcão Bauer, a lava-louças utiliza até 6 vezes menos água do que a lavagem manual¹. Um modelo com 12 serviços, por exemplo, pode lavar de uma vez até 135 itens – dentre os quais pratos, copos, talheres – utilizando apenas 16 litros de água para lavagem e enxágue completos, enquanto se gasta 91 litros para lavar a mesma quantidade de louça à mão. As máquinas atuais lavam bem até panelas.

 

¹ Relatório de ensaio Falcão Bauer n. QUI/L-240.944/2/A/14, disponível em www.lavalouças.com.br (Vantagens da Lava-Louças > Estudo Comparativo de Uso de Água)

 

AGENDA

O que: HackaRB

Quando: 6 e 7 de dezembro

Para quem: Grupos multidisciplinares de estudantes universitários de cursos relacionados a tecnologia, engenharia, design, administração de empresas, comunicação e relações internacionais

Inscrições: pelo site http://www.hackarb.com/

Prêmios:        

1º lugar – R$ 12.000,00 (doze mil reais) para ser dividido entre os integrantes grupo + 1 Ipad mini + 1 máquina de lava-louças (Brastemp) para cada integrante + kit de produtos Finish + vaga no último processo de seleção de estágio da RB;

2º lugar – R$ 7.000,00 (sete mil reais) + kit de produtos Finish;

3º lugar – R$ 5.000,00 (cinco mil reais) + kit de produtos Finish;

Demais participantes – kit de produtos Finish

 

Sobre a Reckitt Benckiser (RB):

 

RB* é líder mundial em bens de consumo para saúde e higiene**. A companhia mantem operações em mais de 60 países, com sedes no Reino Unido, Singapura, Dubai e Amsterdã, e distribui seus produtos em cerca de 200 nações. Ao todo, são aproximadamente 37 mil colaboradores em todo o mundo.

Com o propósito de oferecer soluções inovadoras para uma vida mais saudável e lares mais felizes, a RB está no top 20 das empresas listadas na London Stock Exchange. Atualmente, é a nº1 ou nº2, no mundo, na maioria de suas categorias em rápido crescimento, impulsionada por uma taxa excepcional de inovação. Seu portfólio de saúde, higiene e casa é liderado por 19 Powerbrands globais, incluindo Nurofen, Strepsils, Gaviscon, Mucinex, Durex, Scholl, Woolite, Clearasil, Lysol, Dettol, Veet, Harpic, Bang, Mortein, Finish, Vanish, Calgon, Airwick, e French’s. No Brasil, a RB orgulhosamente fabrica dois heróis locais, Veja e SBP.

No começo de 2014, a RB obteve 43% de sua receita gerada a partir de mercados emergentes, e 57% a partir de mercados desenvolvidos. De sua receita principal, 72% foi proveniente das categorias de saúde e higiene.

Impulsionada por novos talentos que misturam curiosidade intelectual e comprometimento com altos padrões de qualidade, a RB está voltada a redefinir o consumo de bens de saúde e higiene no mundo. As pessoas e a cultura da RB são a base do sucesso da companhia. Elas têm um intenso senso de realização e um desejo de superação onde quer que se concentrem, inclusive em sustentabilidade, em que a meta da RB, até 2020, é reduzir em 1/3 o uso de água e a emissão de carbono, assim como ter 1/3 de sua renda a partir de produtos mais sustentáveis. A companhia é também a maior apoiadora global do SavetheChildren entre as empresas de bens consumo, com uma nova parceria que visa reduzir drasticamente as vítimas da segunda maior causa de mortes entre crianças com menos de 5 anos: a diarreia. A RB quer atingir 200 milhões de pessoas para melhorar seus hábitos de saúde e higiene.

Para mais informações, visite www.rb.com.

*RB é o nome comercial do grupo de companhias da Reckitt Benckiser.

** A RB é líder mundial na indústria de bens de consumo para saúde e higiene, considerando os mercados em que atua. Fontes: Nielsen Global Database, Euromonitor, Nich Hall, ACNielsen e Financial Reports all 2012.

]]>
http://sejalivre.org/iniciativa-inedita-de-finish-e-da-rb-premiara-solucoes-de-universitarios-para-economia-de-agua/feed/ 0
Conectando Remotamente com o Rdesktop http://sejalivre.org/conectando-remotamente-com-o-rdesktop/ http://sejalivre.org/conectando-remotamente-com-o-rdesktop/#comments Mon, 10 Nov 2014 13:30:17 +0000 http://sejalivre.org/?p=21387 Share

banner

Rdesktop é um software cliente livre para o serviço RDP fornecido por servidores Terminal Services. Ele permite o acesso a um ambiente Windows a partir de um computador cujo sistema operacional é linux, por exemplo. Foi elaborado para ser usado nas plataformas X do Unix e do Linux.

Através dele você conseguirá se conectar ao um computador servidor que esteja rodando um “xrdp” onde nele estará configurado uma porta de acesso. Com isso configurado você terá que habilitar essa porta e o IP do servidor ou máquina que queira se conectar no roteador.

Feito todos esses procedimentos você conseguirá tanto interno na rede ou até mesmo em rede externa se conectar ao PC alvo.

Os programas que você verá na videoaula abaixo pode ser encontrado e instalado facilmente digitando os comandos no Terminal do seu Linux. A única configuração e acesso deverá ser feito é na rede, onde você precisará do acesso “login e senha” para acessar um roteador, caso seja ele que gerencie sua rede. Assista a videaula que exemplifica algumas coisas:

 

 

Instalar o xRDP

sudo apt-get install xrpd

Verificar/alterar a porta

sudo nano /etc/xrdp/xrpd.ini

Recarregar o serviço xrdp

sudo service xrdp restart

Instalar o Rdesktop

sudo apt-get install rdesktop

Parâmetros do Rdesktop

-a 16 -z -g 800x600

Para mais parâmetros

man rdesktop

Qualquer dúvida não deixe de comentar. Até a próxima…

]]>
http://sejalivre.org/conectando-remotamente-com-o-rdesktop/feed/ 1
Quer ser um Pentester? Leia esse artigo… http://sejalivre.org/quer-ser-um-pentester-leia-esse-artigo/ http://sejalivre.org/quer-ser-um-pentester-leia-esse-artigo/#comments Fri, 07 Nov 2014 16:06:29 +0000 http://sejalivre.org/?p=21381 Share

banner

Analistas de segurança, auditores de sistemas, profissionais de TI, hackers éticos, estudantes de segurança de computadores e interessados na área de segurança têm agora um material extenso e completo sobre testes de invasão. A Novatec Editora lança a tradução do livro Testes de Invasão, título que todo aspirante a pentester precisa ler.

Em Testes de Invasão, a especialista em segurança Georgia Weidman apresenta as principais habilidades e técnicas necessárias quem deseja se tornar um pentester, o profissional que simula ciberataques para encontrar vulnerabilidades de segurança em redes, sistemas operacionais e aplicações.

Usando um laboratório baseado em máquinas virtuais com Kali Linux e sistemas operacionais vulneráveis, o leitor verá uma série de lições práticas usando ferramentas como o Wireshark, o Nmap e o Burp Suite. Conforme acompanha as lições e realiza ataques, vivenciará as fases fundamentais de uma avaliação de verdade, que inclui a coleta de informações, a descoberta de vulnerabilidades passíveis de exploração, a obtenção de acesso aos sistemas, a pós-exploração de falhas e outras atividades.

Com a leitura de Testes de Invasão será possível explorar a implementação de seus próprios exploits e prosseguir para o hacking de dispositivos móveis com a ferramenta Smartphone Pentest Framework. O leitor aprenderá também a quebrar senhas e chaves de redes wireless, testas aplicações web em busca de vulnerabilidades, usar o Metasploist Framework para lançar exploits e implementar seus próprios módulos do Metasploit, automatizar ataques de engenharia social, evitar softwares antivírus e muito mais.

Quer saber mais sobre essa obra? Confira neste link o primeiro capítulo do livro: http://www.novatec.com.br/livros/testesinvasao/

Sobre a autora

Georgia Weidman é pentester e pesquisadora, bem como a fundadora do Bulb Security, uma empresa de consultoria na área de segurança. Faz apresentações em conferências pelo mundo todo, incluindo o Black Hat, o ShmooCon e o DerbyCon, além de dar aulas sobre assuntos como testes de invasão, hacking de dispositivos móveis e desenvolvimento de exploits. Ela recebeu fundos do Cyber Fast Track da DARPA para continuar seus trabalhos na área de segurança de dispositivos móveis.

unnamed

Promoção

Adquira esta e outras obras diretamente no site da Novatec com 20% de desconto para os leitores do Seja Livre, usando o código: SEJALIVRE

]]>
http://sejalivre.org/quer-ser-um-pentester-leia-esse-artigo/feed/ 0
Desenvolvimento Web com Software Livre… é possível? http://sejalivre.org/desenvolvimento-web-com-software-livre-e-possivel/ http://sejalivre.org/desenvolvimento-web-com-software-livre-e-possivel/#comments Tue, 28 Oct 2014 12:35:59 +0000 http://sejalivre.org/?p=21376 Share

banner

Muita gente não sabe, mas a internet como temos hoje só foi possível graças as filosofias de liberdade de software. Quando um dos pesquisadores do MIT, Tim Berners-Lee em 1994, idealizou o que poderia chegar a ser a internet mundial, fundou o W3C (World Wide Web Consortium) para garantir que os padrões da web seriam sempre abertos e baseados em tecnologias livres de royalites, a fim de que pudessem ser adotados por qualquer um, em qualquer lugar e para qualquer finalidade.

E foi justamente por esta e outras iniciativas baseadas nos primórdios do que seria o Software Livre, como a fundação da FSF (Free Software Foundation) por outro funcionário do MIT, que propiciaram o mundo globalizado e o vasto compartilhamento de conteúdo que nossa era tem experimentado.

Porém o mundo não é a maravilha que parece ser. Como as gigantes da computação não conseguiram ganhar dinheiro com royalites de linguagens fechadas (se bem que algumas delas até tentaram, como foi o caso da Adobe, que “forçou” o uso do Flash na web durante muito tempo), decidiram criar um verdadeiro paradoxo, desenvolvendo softwares proprietários para se programar em linguagens abertas, para uma web totalmente aberta.

Primeiro servidor web da história de internet

Primeiro servidor web da história de internet

 

Mas o que são os Softwares Livres?

O conceito de software livre foi desenvolvido em 1983 por Richard Stallman, fundador da FSF, após ter tido um problema com um driver de uma impressora Xerox e não ter conseguido acesso ao seu código fonte para corrigí-lo. Já o conceito de Open Source foi concebido posteriormente com a criação da OSI (Open Source Initiative).

Eles são nada mais que uma forma de manifestação de um software em que, resumidamente, permite-se adaptações ou modificações em seu código de forma espontânea, ou seja, sem que haja a necessidade de solicitar permissão ao seu proprietário para modificá-lo. Os softwares livres se diferem dos softwares abertos (open source) pois estes, apesar de também serem abertos e permitido o estudo de seu código fonte, estão sob licenças que não respeitam as 4 liberdades do software livre, as quais veremos à seguir:

  • Liberdade 0:liberdade para executar o programa, para qualquer propósito;
  • Liberdade 1: liberdade de estudar o software;
  • Liberdade 2: liberdade de redistribuir cópias do programa de modo que você possa ajudar ao seu próximo;
  • Liberdade 3: liberdade de modificar o programa e distribuir estas modificações, de modo que toda a comunidade se beneficie.

As filosofias de liberdade de software surgiram início da década de 80, onde o conceito de web e internet também estavam no início do seu desenvolvimento, com a “abertura” da ARPA para se tornar o que temos hoje como a Rede Mundial de Computadores (saiba mais sobre a história de internet aqui). Como comentamos antes, as ideologias de liberdade no campo da tecnologia influenciaram amplamente à concepção do que viria ser a internet, seja na liberdade das linguagens e protocolos até na liberdade de acesso, uma vez que durante os primórdios do seu desenvolvimento se entendeu que uma rede global de computadores não poderia ficar somente nas mãos dos órgãos de defesa dos EUA ou ainda de instituições de ensino e pesquisa.

 

Software Livre vs. Software Proprietário

Muita gente acha que ao se defender o uso dos softwares livres não se reconhece a qualidade e/ou importância dos softwares proprietários, e isso não é verdade. Existem softwares proprietários que são incríveis e excelentemente funcionais, apesar de serem fechados. A grande temática do software livre (e aqui também podemos incluir os softwares open source) é a colaboração e o compartilhamento. No caso de softwares proprietários, o usuário só consegue utilizá-lo da forma como foi liberado. Não existe a possibilidade de se melhorar nada na aplicação, reportar um bug ou ainda estudar o código do software.

Outro ponto que devemos levar em consideração são o preço das licenças. Uma micro empresa de desenvolvimento web que quer andar na lei (muita gente ignora isso mas pirataria é crime!) gasta anualmente em média 20.000 reais em licenças de software, sendo que a grande maioria das demandas (e por que não dizer todas?) poderiam muito bem serem feitas utilizando softwares livres.

 

Até aqui tudo bem, mas quais as opções de software livre que eu tenho?

Abaixo vou apresentar à vocês alguns softwares livres e open source para desenvolvimento web. Todos eles estão disponíveis para Windows, Linux e OS X. Vamos lá:

NetBeans

O NetBeans é um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) gratuito e open source desenvolvido pela Oracle para desenvolvedores de software nas linguagens Java, C, C++, PHP, Groovy, Ruby, entre outras. Ele oferece aos desenvolvedores ferramentas necessárias para criação de aplicativos multiplataforma profissionais para Web, Desktop e Mobile.

Interface da IDE NetBEans

Interface da IDE NetBEans

Site: https://netbeans.org/

 

Eclipse

O Eclipse é um IDE open source para desenvolvimento Java, porém suporta várias outras linguagens a partir de plugins como C/C++, PHP, ColdFusion, Python, Scala e plataforma Android. Atualmente faz parte do kit de desenvolvimento de software recomendado para desenvolvedores Android.

Interface da IDE Eclipse rodando no Ubuntu

Interface da IDE Eclipse rodando no Ubuntu

Site: https://www.eclipse.org/home/index.php

 

Zend Framework

O Zend Framework é um framework para aplicações Web, orientado a objetos, implementado em PHP 5 e licenciado sob a New BSD License. Zend Framework—freqüentemente referido como ZF—é desenvolvido com o objetivo de simplificar o desenvolvimento web enquanto promove as melhores práticas na comunidade de desenvolvedores PHP.

Zend Framework 2

Zend Framework 2

Site: http://framework.zend.com/

 

Blue Griffon

O BlueGriffon é um software livre WYSIWYG, multiplataforma, destinado a edição HTML. Ele está em conformidade com os padrões web estabelecidos pela W3C e pode ser usado para criar e editar páginas em HTML 4, XHTML 1.0, HTML 5 e XHTML 5. Ele suporta CSS 2.1 e todas as especificações do CSS 3 já implementadas pelo Gecko. O BlueGriffon também inclui editor SVG, um editor XUL baseado em SVG, que era originalmente distribuído como um add-on para Firefox e foi adaptado para BlueGriffon.

Editor WYSIWYG Blue Griffon, conhecido como o "Dream Weaver do Linux"

Editor WYSIWYG Blue Griffon, conhecido como o “Dream Weaver do Linux”

Site: http://bluegriffon.org/

 

Brackets

O Brackets é um editor open source para HTML, CSS e Javascript com um foco primário em Desenvolvimento Web. Ele foi criado pela Adobe Systems, licenciado sob a licença MIT, e é atualmente mantido no GitHub.

Apesar de um projeto novo, o Brackets já tem demonstrado que "veio pra ficar"

Apesar de um projeto novo, o Brackets já tem demonstrado que “veio pra ficar”

Site: http://brackets.io/

Bom pessoal por hoje vamos parar por aqui. No nosso próximo post iremos comentar sobre os poderosos CMS e as as incríveis coisas que podemos fazer com ele na web.

Fiquem à vontade pra comentar abaixo. Até a próxima!

]]>
http://sejalivre.org/desenvolvimento-web-com-software-livre-e-possivel/feed/ 2
Fritzing – circuitos eletrônicos e desenhos de PCB para Arduino no Linux http://sejalivre.org/fritzing-circuitos-eletronicos-e-desenhos-de-pcb-para-arduino-no-linux/ http://sejalivre.org/fritzing-circuitos-eletronicos-e-desenhos-de-pcb-para-arduino-no-linux/#comments Sun, 26 Oct 2014 11:12:19 +0000 http://sejalivre.org/?p=21370 Share

banner

Você já viu aqueles desenhos de circuitos onde os componentes aparecem bonitos, coloridos, exatamente do jeito como você deve montar fisicamente? Sem aqueles símbolos todos, mas com uma ilustração do próprio componente? Pois hoje vamos falar sobre como são feito, apresentando-lhes o Fritzing, um programa perfeito para quem precisa de um software para fins educacionais com Eletrônica. O Fritzing é um software de código aberto onde você pode desenhar seus circuitos em dois modos (esquemático e protoboard) e até routear trilhas para fazer uma placa de circuito impresso (PCB – printed circuit board). O software é completamente intuitivo, e facílimo de se obter (mais abaixo tem os links e procedimentos para instalação).

É importante observar que o Fritzing não é um simulador, o seu objetivo é apenas o desenho dos circuitos. Mas veja que maravilha, o Fritzing tem três modos (visões): Protoboard, Esquemático, e PCB. O modo Protoboard é um dos maiores atrativos do Fritzing: é onde você pode montar o circuito “vendo” as peças como se parecem fisicamente, através das ilustrações com perspectiva 3D. Veja abaixo algumas screenshots do programa nos diferentes modos, exibindo a montagem do hardware de um projeto da biblioteca de exemplos do Arduino:

Modo Schematic - exemplo do Arduino AnalogInputToServo

Modo Schematic – exemplo do Arduino AnalogInputToServo

Modo protoboard - exemplo do Arduino AnalogInputToServo

Modo Protoboard – exemplo do Arduino AnalogInputToServo

Modo PCB - exemplo do Arduino AnalogInputToServo

Modo PCB – exemplo do Arduino AnalogInputToServo

Existe também uma versão para Windows. No Ubuntu Linux e derivados, basta você procurar por “Fritzing” na Central de Software (Ubuntu), ou utilize o seguinte comando no terminal:

$ sudo apt-get update && sudo apt-get install fritzing

Se como resultado da operação você obtiver uma mensagem de que os pacotes não foram encontrados, basta adicionar os repositórios, com o comando:

$ sudo add-apt-repository ppa:ehbello/fritzing

E aí sim execute o update e a instalação:

$ sudo apt-get update && sudo apt-get install fritzing

Como dizem por aí… #FicaADica ;) Abraços!

]]>
http://sejalivre.org/fritzing-circuitos-eletronicos-e-desenhos-de-pcb-para-arduino-no-linux/feed/ 0
Curso aberto de Ubuntu Básico http://sejalivre.org/curso-aberto-de-ubuntu-basico/ http://sejalivre.org/curso-aberto-de-ubuntu-basico/#comments Fri, 24 Oct 2014 20:22:56 +0000 http://sejalivre.org/?p=21368 Share

banner

O Curso Aberto e Livre (MOOC) de Ubuntu foi iniciado na segunda-feira (20/10), mas as inscrições vão estar abertas até 03/11. Este curso é voltado para iniciantes de Software Livre e já contam com 250 inscrições, mas a meta é atingir 1000 inscritos.

Mais informações:
– Formulário de inscrição: http://moocs.rea.ufg.br/login/signup.php
– Localização do curso: http://moocs.rea.ufg.br/
– Data de realização: 20/10/14 a 14/12/14
– Encontros online: todas segundas-feiras (19:30 às 20:30) e quartas-feiras (19:30 às 20:30), ambos no horário de Brasília. As aulas serão gravadas e disponibilizadas para quem não comparecer.

Participe do próximo encontro online, sem compromisso: http://youtu.be/-NOFufZylDA
– Apresentação do curso: http://youtu.be/79cg9GJNkyQ
– Certificado: emitido pela UFG, em formato digital, para todos aqueles que completarem 80% das atividades e nota igual ou superior a 7,0;
– Email de contatos: cursosextensao@inf.ufg.br
– Conteúdo: livre, disponível em http://pt.wikibooks.org/wiki/Manual_do_Ubuntu
– Plataforma: livre, baseado no Moodle 2.5, com personalização
disponível no GitHub.
– Cópia e redistribuição: livre, incentivamos que este curso seja replicado por outros pares;

Ajude-nos a disseminar esse chamado e atingir a meta, convide seu amigo, parente ou vizinho.

Artigo enviado por Marcelo Akira

]]>
http://sejalivre.org/curso-aberto-de-ubuntu-basico/feed/ 0
FreeCAD – Desenho Técnico em 3D em plataforma livre http://sejalivre.org/freecad-desenho-tecnico-em-3d-em-plataforma-livre/ http://sejalivre.org/freecad-desenho-tecnico-em-3d-em-plataforma-livre/#comments Mon, 20 Oct 2014 12:30:20 +0000 http://sejalivre.org/?p=21350 Share

banner

 

Aplicação do FreeCAD em Arquitetura

Aplicação do FreeCAD em Arquitetura

Olá, pessoal!! Pra quem está procurando um software livre pra trabalhar com Engenharia Mecânica, Robótica, Arquitetura… precisa de desenho técnico (CAD) em 3D e está preso a programas pagos como o SolidWorks, por exemplo, fica a dica do projeto FreeCAD.

O FreeCAD introduz o conceito de bancadas (workbenchs), divididas por finalidade: arquitetura, desenho de peça, montagem, etc. É um programa muito completo, e que está cada vez melhor.

Desenho de peça no FreeCAD

Desenho de peça no FreeCAD

A última versão, FreeCAD 0.14, saiu em julho deste ano! Visite o site do projeto e a página no Facebook! A documentação é bastante completa, e está sendo traduzida para o Português!

Instalação no Ubuntu 14.04 (veja como é fácil):

$ sudo apt-get update && sudo apt-get install freecad freecad-doc

Se o pacote freecad não for encontrado, você precisa adicionar o repositório em suas listas:

$ sudo add-apt-repository ppa:freecad-maintainers/freecad-stable

E aí execute a instalação:

$ sudo apt-get update && sudo apt-get install freecad freecad-doc

Agora mãos à obra e bom trabalho!!! Abraços e até a próxima!

]]>
http://sejalivre.org/freecad-desenho-tecnico-em-3d-em-plataforma-livre/feed/ 1
Vem ai o Ubuntu Day em Hortolândia http://sejalivre.org/vem-ai-o-ubuntu-day-em-hortolandia/ http://sejalivre.org/vem-ai-o-ubuntu-day-em-hortolandia/#comments Fri, 17 Oct 2014 16:45:01 +0000 http://sejalivre.org/?p=21341 Share

banner

Dia 29 de novembro acontecerá em Hortolândia o Ubuntu Day Hortolândia 2014, realizado pela comunidade oficial Ubuntu no Estado de São Paulo (LoCo Team Ubuntu São Paulo). O evento tem como objetivo a troca de informações e partilha de conhecimento de forma livre e aberta a todos.

A primeira edição do evento foi no ano de 2013 na sede social do Sport Club Corinthias, na cidade de São Paulo, o Ubuntu Day marcou a reestruturação da comunidade Ubuntu com as demais comunidades de Software Livre e Open Source. Neste ano, o Ubuntu Day será realizado na cidade de Hortolândia, no Instituto Federal São Paulo Campus Hortolândia.

Hortolândia é uma cidade pertencente à região metropolitana de Campinas e sede de importantes empresas no segmento de tecnologia, dentre elas IBM e DELL. Formatado de maneira modular, o Ubuntu Day é um evento a ser levado para todo o estado de São Paulo, de forma a garantir a inclusão das comunidades distantes da capital.

Contando com a presença de palestrantes de grande representatividade no cenário de Software Livre e Open Source, o Ubuntu Day Hortolândia 2014 terá a presença de representantes da Fundação Mozilla e Fedora, além de diversos colunistas de portais online como Seja Livre e iMasters.

O evento é aberto ao público e tem entrada gratuita, devendo o interessado apenas fazer sua inscrição no endereço www.ubuntubrsp.org/ubuntuday para reservar a vaga.

uday_flyer

]]>
http://sejalivre.org/vem-ai-o-ubuntu-day-em-hortolandia/feed/ 0
Instalando o Ubuntu 14.04 em um MacBook [Dicas de pós-instalação] http://sejalivre.org/instalando-o-ubuntu-14-04-em-um-macbook-dicas-de-pos-instalacao/ http://sejalivre.org/instalando-o-ubuntu-14-04-em-um-macbook-dicas-de-pos-instalacao/#comments Fri, 17 Oct 2014 14:18:26 +0000 http://sejalivre.org/?p=21336 Share

banner

No post de hoje vamos abordar a instalação do Ubuntu 14.04 LTS em um MacBook Pro 8.2. Porém antes disso, porque instalar o Ubuntu em um MacBook?

Existem inúmeras fabricantes de computadores no mercado, e algumas delas muitos boas como por exemplo a DELL ou a Lenovo (sim, a Lenovo cresceu muito nos últimos anos e vem dominando o mercado de Notebooks). Porém é praticamente inegável que em alguns quesitos, como duração de bateria e design, a Apple é campeã. Enfim, é também questão de gosto e de poder pagar por um Mac.

Dual Boot ou não?

Isso também é questão de gosto, apesar do que eu lhe afirmo sem medo de errar: o Ubuntu ganha do OS X em inúmeros aspectos como boot, aproveitamento de GPU e etc, sem levarmos em conta o fato da liberdade. No OS X, por exemplo, ao se tentar usar um HD externo que esteja formatado em NTFS, você só vai conseguir visualizar os arquivos; o OS X não suporta nativamente a escrita em sistemas de arquivos NTFS (na verdade ele só suporta leitura/escrita os sistemas FAT e HFS+, que é o nativo dele). Logo para que você consiga usar seu HD externo normalmente você terá que instalar um aplicativo para habilitar essa função.

Bom se você quer manter seu MacBook com o OS X e poder rodar seu Ubuntu em Dual Boot com ele, sugiro que leia esse post do mestre Aprígio Simões ou este link do Ask Ubuntu.

Chutando o “pau-da-barraca” e se libertando: instalando o Ubuntu direto no MacBook

Agora é que vem a parte difícil (só que não.. rs).

A instalação do Ubuntu é praticamente igual a feita em qualquer outro computador, com o detalhe de se preservar  EFI Boot GPI do Mac (essa partição não é o seu /boot, ela é a área que a EFI vai arrancar o sistema operacional).

Insira o DVD do Ubuntu  64 bits no seu MacBook e ligue ele pressionando a tecla “C” para que seja exibido o dispositivo pelo qual você quer iniciar o seu Mac: escolha o drive de DVD.

Inicie a instalação normalmente e, ao aparecer as opção de Tipo de Instalação, escolha a Opção Avançada.

Fonte da Imagem: tutorfreebr.blogspot.com

Fonte da Imagem: tutorfreebr.blogspot.com

Nela você vai criar as partições pro seu sistema. Fique à vontade pra particionar o HD do seu MacBook como quiser, porém não se esqueça de criar no mínimo 3 partições:

  • 200 MB para o EFI Boot GPI (escolha o sistema de arquivos EFI Boot Partition)
  • 2 GB para Swap
  • Ponto de montagem do sistema (/), que nada mais é onde será instalado seu Ubuntu

Como eu disse, você pode criar outros pontos de montagem. Eu por exemplo sempre coloco a minha /home eu uma partição separada.

Feito isso, siga com a instalação normalmente e depois reinicie seu MacBook.

Pós-instalação

Wireless

Assim que você terminar a instalação e reiniciar seu MacBook (ou até durante a instalação, caso você tente conectá-lo a internet) você irá perceber que o Wifi não está funcionando… mas fique tranquilo, temos a solução ;-)

O cartão wireless do MacBook é fabricado pela Broadcom (B43) e não possui driver open source pra ele, logo por padrão o Kernel Linux não vai reconhecê-lo a não ser que instalemos o firmware proprietário.

Pra resolver isso você terá que conectar seu MacBook em uma rede cabeada e executar os comandos abaixo e instalar o firmware do B43:

sudo apt-get update

sudo apt-get install firmware-b43-installer

Feito isso sua Wifi já estará funcionando perfeitamente.

NOTA: sempre que você instalar uma versão limpa do Ubuntu, antes de começar a instalar seus aplicativos faça o primeiro upgrade do seu sistema:

sudo apt-get update

sudo apt-get upgrade

Super aquecimento

Ao começar a usar seu Ubuntu no MacBook você irá perceber que ele ficará muito quente (muito mesmo). Como isso é extremamente prejudicial ao seu hardware, vamos corrigir isso com os passos abaixo:

sudo add-apt-repository ppa:linrunner/tlp
sudo apt-get update
sudo apt-get install tlp tlp-rdw tp-smapi-dkms smartmontools ethtool

Acima nós instalamos o TLP (e suas dependências), que é uma aplicação de linha de comando para sistemas Linux que aplica automaticamente algumas configurações e/ou ajustes dependendo da sua distro e do seu hardware, e ele ainda tem a opção de aplicar ajustes manuais no seu sistema, como habilitar/desabilitar WiFi, Bluetooth, 3G e etc, e configurações a nível de Kernel (para maiores informações, acesse este link).

Feito isso reinicie seu MacBook.

Desligando o Bluetooth no Boot

Outra dica super bacana pra ajudar seu Ubuntu a não esquentar muito (e conseguir mais vida útil a sua bateria… ahh?! O MacBook já tem quase 8 horas de autonomia, pra que mais?! rsrsrs) é desligar o BlueTooth já no boot.

Vamos lá:
Passo 1. Abra um terminal (Usando o Dash ou pressionando as teclas CTRL+ALT+T);
Passo 2. Abra o arquivo /etc/rc.local para edição com o comando:

sudo gedit /etc/rc.local

Passo 3. Adicione a linha abaixo antes da linha que contém o texto “exit 0″;

rfkill block bluetooth

É interessante também você desabilitar outras coisas que você não use do início do seu sistema. Pra isso leia esse artigo que escrevemos especificamente sobre isso: http://sejalivre.org/como-remover-aplicativos-inicio-automatico-ubuntu/

Conclusão

Agora que seu Ubuntu está prontinho e rodando perfeitamente você vai reparar que não existe coisa melhor do que usá-lo em um Mac. E caso você tenha alguma dúvida, poste nos comentários abaixo para podermos lhe ajudar.

]]>
http://sejalivre.org/instalando-o-ubuntu-14-04-em-um-macbook-dicas-de-pos-instalacao/feed/ 6