Controle todo seu sistema com Cgroup, o Grupo de Controle do Linux

Vinícius Vieira 07/10/2011 0
Share

bannerO Cgroups está presente à partir do kernel Linux 2.6.24 (final de 2007), e infelizmente ele ainda não é muito utilizado, apesar de ser uma ferramenta fundamental para Administradores de Rede.
Neste artigo, vou apresentar esta poderosa ferramenta Linux para controlar os processos de cada usuário no sistema, tais como CPU, memória, uso de disco e rede.

 

Teoria

Um grupo de controle é uma coleção de processos que estão vinculados pelos mesmos critérios. Esses grupos podem ser hierárquicos, onde cada grupo herda os limites do seu grupo pai. O kernel fornece acesso a vários controladores (subsistemas) através da interface cgroups.

A infra-estrutura do cgroups fornece apenas os recursos de agrupar as tarefas, enquanto o subsistema cgroups implementa as políticas de controle específicos para cada recurso. Este aplicativo é muito poderoso e permite que você defina regras sobre os recursos, não só se baseado em usuários e grupos.

O cgroups pode ser usado também para “isolar processos” e dar comandos especiais para grupos de processos, de modo que podemos dizer que existem dois tipo de subsistemas

  1. O Isolamento, que é um Subsistemas de Controle Especial
  2. O Controle de subsistemas de Recursos

Eu vou focar no controle dos recursos, que é uma visão pequena do Isolamento:

  • O CPUset: atribui CPUs individuais e os nós de memória para cgroups.
  • O Namespace: fornece uma visão particular do sistema para os processos em um cgroup, e é usado principalmente a nível de sistema operacional de virtualização.
  • O Freezer: pára todos os processos em um cgroup em execução, removendo-os do kernel ou do agendador de tarefas.
  • O device: permite ou nega o acesso aos processos de dispositivos em um cgroup.
  • O Checkpoint / Restart: Salva o estado de todos os processos em uma cgroup em um arquivo, podendo reiniciá-lo mais tarde (ou apenas salvar o estado e continuar).

A administração de cgroups é realizada pelo uso de um sistema de arquivos virtual especial (uma espécie de procfs ou sysfs), trivialmente chamada cgroupfs.

 

Continue lendo este artigo neste link: http://linuxaria.com/article/introduction-to-cgroups-the-linux-conrol-group?lang=en

PUBLICIDADE


Quer continuar por dentro das novidades do Blog Seja Livre? Siga o nosso perfil no TWITTER, curta a nossa página no FACEBOOK ou adicione o Blog Seja Livre nos seus círculos do GOOGLE+. Se você usa ORKUT, nós também estamos lá, inclusive no IDENTI.CA e Linkedin.